Melhores preços e qualidade em mudas florestais

Entrega rápida e pagamento seguro

Semente Palmito Juçara - E. edulis - 500GR

Seja o primeiro a avaliar este produto

R$170,00

Sem estoque

Opções Adicionais

Descrição Rápida

O palmito é uma iguaria fina, valiosa e de grande aceitação no mercado, tanto no Brasil como no exterior. Corresponde ao produto comestível, extraído da extremidade superior do tronco da palmeira.

Nome Popular : Palmito juçara, palmiteiro, palmito doce, jussara

Nome Científico :Euterpe Edulis

Família : Arecaceae

Peso do Pacote : 500 Gramas

Síndrome de Dispersão : Zoocórica

Sinomínia Botânica :Euterpe equsquizae Bertoni ex Hauman; Euterpe globosa Gaertn

Grupo Ecológico : Não Pioneira

Classificação Sucessional : Secundária Tardia

Ameaça de Extinção : Vulnerável

Bioma : Cerrado, Mata Atlântica

Ocorrência conforme resolução SMA 08 - Estado de São Paulo : Floresta Estacional Semidecidual - Centro, Floresta Estacional Semidecidual - Sudeste, Floresta Ombrófila Densa - Litoral Norte, Floresta Ombrófila Densa - Litoral Sul , Floresta Ombrófila Densa - Sudeste, Mata Ciliar - Centro, Mata Ciliar - Sudoeste, Mata Paludosa - Centro, Mata Paludosa - Sudoeste, Restinga - Litoral Norte, Restinga - Litoral Sul

Origem : Bahia, Distrito Federal, Espirito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo

Locais de Ocorrência : Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste, Sul

Onde Plantar : Plantações comerciais e pomares domésticos.

Solo de Plantio : Áreas Secas, Áreas Úmidas

Porte da Árvore : De 20 a 25 metros, De 25 a 30 metros

Utilidades : Construção Civil, Frutíferas Comestiveis, Melíferas, Uso Ornamental

Madeira : Madeira resistente, que serve também para a produção do palmito.

Tronco : Reto, cilíndrico, não-estolonífero (não brota na base); seu estipe (caule) não é considerado fuste. Entre o término do tronco e a parte onde nascem as folhas, há uma seção verde, mais grossa que o tronco, formada pela base do conjunto de folhas. Dentro desta seção encontra-se a parte comestível da palmeira.

Folha : Alternas, pinadas, com até 3 m de comprimento.

Flor : Unissexuais, sendo as masculinas em maior número, de coloração amareladas, numerosas, com 3 a 6 mm de comprimento, distribuídas em grupo de três, uma feminina entre duas masculinas. A inflorescência é um espádice de 50 a 80 cm de comprimento, composto de várias espigas, inseridas abaixo das folhas. Na antese, a inflorescência está envolta por uma grande bráctea que a protege até o seu desenvolvimento.

Fruto : Drupa subglobosa composta por um epicarpo (casca) pouco espesso, lisa, violáceo-escura, com polpa escassa encerrando uma semente.

Fruto Comestível : Sim

Potencial Paisagístico : Apresenta grande potencial ornamental, ainda não utilizado.

Fenologia : Floresce de setembro a janeiro, e tem a maturação de seus frutos no período maio-agosto.

Tempo Médio de Emergência : 45 Dias

Sementes por Quilo : 770

Sementes por Pacote : 385

Sementes por Cova : 2

Mês de Coleta : Março

Longevidade e Armazenamento : A perda do poder germinativo dessas sementes é muito rápida. Sementes desta espécie mantêm a viabilidade parcial por seis meses, em ambiente de sala, ou por onze meses, em câmara fria (5 a 10ºC e alta UR), em saco de polietileno bem fechado. Armazenadas a frio (5ºC), as sementes conservam-se viáveis por dois anos.

Colheita : A coleta do palmiteiro deve ser feita no solo, quando os frutos apresentam o pericarpo preto, roxo e rosado. Frutos maiores apresentam maior porcentual de germinação quando comparados aos frutos menores, apresentando ainda maior vigor. A extração das sementes é feita pela imersão dos frutos em água por doze a 24 horas e maceração sobre peneiras para retirar a polpa (caroços). As sementes devem ser postas em peneiras e secas em ambiente ventilado.

Quebra de Dormência : É discutível a necessidade de tratamentos para superar a dormência dos frutos. Entretanto, são recomendados para acelerar a germinação: imersão em água fria por 48 horas para embebição; estratificação em areia úmida por 30 dias, ou escarificação mecânica. Experimentos realizados em laboratório demonstraram que sementes escarificadas (retirada do tegumento) apresentaram uma germinação uniforme num período de 45 dias, enquanto as sementes não escarificadas continuaram o processo de germinação por um período superior a quatro meses.

Como Plantar : Recomenda-se semear em recipiente ou semeadura direta no campo, em covas de 5 cm de profundidade. Em sementeira, deve-se usar areia de rio como substrato e mantê-la sempre úmida. A repicagem, quando necessária, pode ser feita uma a três semanas após a germinação, ou após o aparecimento das folhas.

 

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.

Apenas usuários registrados podem comentar. Por favor, identifique-se ou cadastre-se